Casa com Bossa Menu

Vida a dois | E o casamento depois dos filhos?

O pensamento mais controverso que pode existir nesse mundo é: “Filho segura casamento!”. Pelo amor de Deus, quem falou isso com certeza não tem filhos e nem um pingo de noção do malabarismo que é viver um casamento com tanta atenção que uma criança demanda! Porém, minha mãe muito sábia e vivida que é, me disse algo que eu nunca esqueci: “Case com alguém que você ADMIRE e AME conversar, porque um dia a paixão vai acabar, mas a conversa e a admiração farão vocês se amarem e terem... Leia mais

O pensamento mais controverso que pode existir nesse mundo é: “Filho segura casamento!”. Pelo amor de Deus, quem falou isso com certeza não tem filhos e nem um pingo de noção do malabarismo que é viver um casamento com tanta atenção que uma criança demanda!

Porém, minha mãe muito sábia e vivida que é, me disse algo que eu nunca esqueci: “Case com alguém que você ADMIRE e AME conversar, porque um dia a paixão vai acabar, mas a conversa e a admiração farão vocês se amarem e terem vontade de estar sempre juntos!

E hoje, com minha pequena vida de 8 anos de casada sinto que é bem isso. Se hoje, com os meninos, eu fosse casada com alguém que o papo não me interessasse e/ou quem eu não admirasse, com toda a certeza, eu não estaria mais casada! É através das conversas com ele que o meu coração acalma, que os problemas ficam pequenos e os sonhos se encontram.

Lembrando um pouco dos tempos de namoro e de recém-casados, penso logo na tranquilidade que tínhamos para sair, ir ao cinema, conversar muito, namorar bastante e passar o fim de semana jogados no sofá tranquilos, só descansando da semana, e juntando forças para a próxima que viria. A convivência e proximidade eram muito fortes.

Daí, quando aquele bebezinho nasce, as coisas mudam da água para o vinho rapidamente. Arrisco até a dizer que para a proximidade e convivência do casal chega a ser algo devastador . Eu praticamente não consigo sentar. Assistir a um filme em casa com o meu marido é uma missão impossível com tantas coisas para fazer com as crianças. O diálogo do casal acaba diminuindo e sendo interrompido milhões de vezes. E o descanso… o que é descanso mesmo?

Ai eu penso: e o casamento? E a proximidade deliciosa que tínhamos antes das crianças? Eu vou falar com toda a sinceridade: morro de saudades de estar com ele no sofá, deitar em seu colo e conversar por horas. Essa história de ser cuidada me faz falta, principalmente, porque cuidamos e nos preocupamos com os filhos o dia todo.

A sensação que eu tenho é que depois de termos filhos, realmente, temos que fazer uma força grande para continuarmos conectadas e de mãos dadas com o nosso parceiro. Acredito que para viver bem um casamento após a chegada dos filhos não basta só amar. AMAR é muito, mas já não o suficiente nesse momento! É preciso empenho dos dois lados e olhar o outro mesmo em um dia difícil com as crianças ou no trabalho. Sei bem que tem dias que não temos vontade de nada… nem de olhar, nem de conversa e muito menos de sexo! Sexo? O que é sexo mesmo?

Vamos largar de hipocrisia: o sexo depois de algum tempo de casados e PRINCIPALMENTE depois dos filhos diminui… não dá vontade de transar todos os dias como nos tempos de namoro. E nem precisa ser assim, afinal, estamos vivendo uma outra fase da vida. Mas nos momentos que acontecerem, se vocês estiverem realmente conectados, será especial!

E essa conexão, como acontece? Na minha opinião, realmente não existe um segredo mágico para isso. A conexão se faz através de pequenos gestos e da conversa do dia a dia. E se isso não existir, como vai rolar sexo?  Lógico que viajar a dois, arranjar alguma maneira para poderem dar uma volta, irem ao cinema, ou mesmo se não der, por mais cansados que estejam, em algum dia da semana, ficarem acordados até mais tarde mesmo que em casa, assistindo a um filme, namorando ou fazendo algo gostoso para comerem também ajuda muito.

Mas o que eu vejo muito (e que eu já fiz) são mulheres que acabam se apropriando de todas as funções com as crianças e inconscientemente (ou conscientemente também) terem mágoa e até raiva dos maridos por eles não participarem dos cuidados e afazeres dos filhos. E é esse o princípio do fim! Com isso os casais vão se afastando, a mulher só reclama, se queixa, e o homem mesmo que queira, não consegue mais lidar com as questões da criança, já que a mulher dominou todas as funções. O problema é que na maioria das vezes a mulher pensa que se não cumprir com todas as funções com as crianças não é uma boa mãe. Ai então, não deixa o parceiro participar. Nesse momento, o romantismo já foi embora, as conversas se limitam as necessidades da casa e das crianças, e o sexo não existe mais.

Caramba… é é isso mesmo! Totalmente isso! Por isso se aproprie do que você consegue carregar e, quando estiver difícil, saiba falar… É super importante para os pais saberem que conseguem cuidar dos filhos e que são essenciais.

Hoje em dia as pessoas estão muito imediatistas! Sou total a favor do: está infeliz? Separa. Claro, não dá para viver infeliz. Entretanto, as pessoas estão muito egoístas e não conseguem mais olhar o outro e abrir mão de algumas coisas. Lógicamente com filhos, tudo toma proporções maiores fazendo com que aconteçam muitas separações. Por isso, acho que antes de decidir pela separação, o casal deve empenhar-se com todas as forças para que dê certo. Porque a real é mesmo essa:o casamento não é assim um mar de rosas, mas o amor ah…o amor junto com o empenho e parceria do casal supera tudo!

casa-com-bossa_Vida-a-dois-E-o-casamento-depois-dos-filhos

 

envie seu comentário

RelacionamentoVida a dois

Dicas para sobreviver ao primeiro ano de casados!

Olá! É com muita alegria que escrevo hoje o meu primeiro post aqui no Casa Com Bossa. Como tenho recebido muitos casais com esta dificuldade no consultório, vim contar algumas dicas para viver bem o primeiro ano de casados. Na minha experiência, vejo muita gente surpresa ao descobrir que: mesmo depois de tanto tempo juntos (namorando, viajando juntos), ao se casar, você descobre características da pessoa que ainda não conhecia. E o que acontece com o casal então? Descobre as diferenças um do outro. E é aí que podem... Leia mais

Olá!

É com muita alegria que escrevo hoje o meu primeiro post aqui no Casa Com Bossa.

Como tenho recebido muitos casais com esta dificuldade no consultório, vim contar algumas dicas para viver bem o primeiro ano de casados.

casa-com-bossa_dicas-para-sobreviver-ao-primeiro-ano-de-casados_casal-unido (1)

Na minha experiência, vejo muita gente surpresa ao descobrir que: mesmo depois de tanto tempo juntos (namorando, viajando juntos), ao se casar, você descobre características da pessoa que ainda não conhecia. E o que acontece com o casal então? Descobre as diferenças um do outro. E é aí que podem surgir os desentendimentos.

Já adianto que nos primeiros meses acontece o “choque de realidade”. Você descobre que nem todos os dias serão ideais como você sonhou. Alguns dias não serão tão bons. E outros serão maravilhosos! Lembre-se sempre disso!

O que poucas pessoas compreendem é que: é natural ocorrerem alguns desentendimentos no início do casamento. Afinal, esta é uma fase de descobertas e ajustes na relação de vocês. Para passar por esta fase com sucesso, é fundamental que ambos estejam abertos para aceitarem as características um do outro.

É legal ter em mente que esse período de aprendizagem pode e deve ser encarado com leveza e bom humor. Essa aprendizagem mais aprofundada um do outro é o que torna a relação anda mais estimulante.

Com essas dicas a seguir, vocês podem atravessar pelo primeiro ano de casados ainda mais fortes e unidos:

# Vocês devem conversar honestamente sobre os hábitos do dia a dia.

Os hábitos de vocês podem não ser os mesmos.

Um pode acordar mais cedo porque entra antes no trabalho e sem querer acordar o outro que poderia levantar mais tarde – confronto logo pela manhã.

Um gosta de dormir tarde, o outro de dormir cedo.

Um tem o costume de comer na cama. O outro não.

Um gosta de relaxar e ouvir música à noite. E o outro costuma levar trabalho para casa.

Como combinar tudo isso? Vocês terão que montar as próprias regras.

Seu parceiro não tem como adivinhar o que você prefere ou gosta de fazer diariamente. Ele também não tem como saber o que você espera dele.

Para resolver isso, só conversando! Sem grosserias, sem julgamentos, apenas utilizando da honestidade e do carinho.

Assim, um cede de um lado e outro cede do outro, até chegarem a um acordo mutuo do que funciona para os dois.

# Reflita um pouco sobre as suas expectativas do casamento.

Como você espera que um marido ou esposa deva agir ou ser? Conversem entre vocês sobre isso. Aproveitem também para alinhar as expectativas sobre as praticidades do dia a dia de vocês.

Quanto tempo cada um tem para trabalhar fora e dentro de casa (nas atividades domésticas); quanto às finanças, quem vai organizar? As finanças serão juntas ou separadas?

Esclarecer todas as expectativas no início do casamento, discutindo-as aberta e honestamente previne brigas calorosas mais à frente e ajuda a manter o dia a dia de vocês mais tranquilo e harmonioso.

# Os problemas que vocês tinham antes de casar, não somem milagrosamente.

Caso vocês tenham desavenças anteriores ao casamento, elas continuam acompanhando vocês. Aproveitem que agora vocês têm o espaço de vocês e uma rotina nova juntos para chegarem a um acordo sincero sobre os problemas.

Obs.: Evite o hábito de sair de casa “para espairecer” depois de uma discussão.

Normalmente, a pessoa que sai vai encontrar com amigos ou com a família. Isso acaba virando uma fuga ou então acaba trazendo pessoas de fora para a discussão.

É melhor aprender a resolver os problemas em casa, da maneira de vocês. É mais saudável para a relação.

# Pedir desculpas é essencial.

É essencial e deve ser feito genuinamente.

Pedir desculpas sinceras por algo que fez de errado.

E também desculpar de verdade o parceiro (a). Sem ficar remoendo o assunto ou o relembrando toda hora.

# Vocês casaram com a família um do outro. Mas limites são necessários.

Discutam juntos como colocar limites e qual a intensidade desses limites, para que as famílias não interfiram na vida e na rotina de vocês.

O casal agora precisa resolver os problemas um com o outro. E é interessante não deixar que interfiram nas decisões que vocês tomam.

Vocês estão construindo a família de vocês e o seu jeito próprio de lidar com a vida – isso é um processo a ser construído a dois.

# Separar um tempo para namorar é vital.

Separar momentos para estarem juntos. Pois estar na mesma casa não significa que estão passando tempo de qualidade juntos.

Continuem a marcar jantares românticos ou uma sessão de cinema em casa com pipoca e namoros no sofá.

Isso é extremamente importante para manter o clima de namoro entre vocês e trazer cada vez mais intimidade para o casal.

casa-com-bossa_dicas-para-sobreviver-ao-primeiro-ano-de-casados_noiva-noivo (1)

Essas foram algumas das principais dicas. O que achou?

Caso tenha dúvidas ou queira entrar em contato:

psicologiadoscasais@gmail.com

2 comentários

RelacionamentoVida a dois

Viagem | Deserto do Atacama

Hoje a minha dica de viagem para o Casa com Bossa será de um lugar muito especial pela natureza em si, e pela energia, o Deserto do Atacama.   Para chegar ao Deserto é necessário pegar um vôo em Santiago com destino ao Aeroporto de Calama. Depois seguir viagem por aproximadamente 2 horas de carro, cruzando o deserto. Por incrível que pareça, a pequena cidade de San Pedro de Atacama, que é um verdadeiro Oásis, conta com vários pequenos hotéis charmosos e de luxo, pousadas e abrigos para mochileiros.... Leia mais

Hoje a minha dica de viagem para o Casa com Bossa será de um lugar muito especial pela natureza em si, e pela energia, o Deserto do Atacama.

 

Para chegar ao Deserto é necessário pegar um vôo em Santiago com destino ao Aeroporto de Calama. Depois seguir viagem por aproximadamente 2 horas de carro, cruzando o deserto.

ATACAMA8

Por incrível que pareça, a pequena cidade de San Pedro de Atacama, que é um verdadeiro Oásis, conta com vários pequenos hotéis charmosos e de luxo, pousadas e abrigos para mochileiros. Fica na Cordilheira dos Andes, a 2.500 metros de altitude. É bastante rústica, com ruas de terra e casas de adobe, um charme, atrai desde turistas em busca de luxo e privacidade como mochileiros, e público mais alternativo….

ATACAMA 30

ATACAMA6

O Hotel Explora é um capítulo a parte, e é um show, lindo demais, luxo sem ostentar, totalmente integrado na natureza, com comida e serviços top. Projetado para o hóspede se sentir em casa, porém ter um reencontro com a natureza selvagem de maneira confortável e segura. Desde o dia que você chega até a partida tem várias atividades planejadas para o bem estar do hóspede.

ATACAMA14

ATACAMA17

ATACAMA18

ATACAMA24

O Deserto de Atacama é conhecido por ser o mais árido o mundo, tendo sido palco de uma estiagem de 1.400 anos. Já pensou?? E com isso reserva passeios maravilhosos, com diversos níveis de dificuldade, o próprio hotel tem um cardápio de opções para cada visitante escolher o que achar melhor.

ATACAMA8

ATACAMA15

Dá uma olhada nas fotos dos passeios abaixo, e entenda porque o Atacama é chamado de Deserto vivo.

As lagoas Miscante e Miñiques, chamadas de Lagunas Altiplânicas, ficam ao lado de Cerros que levam o mesmo nome. O Miscante tem mais de 5.500 metros de altitude e o de Miñiques, 5.700. As lagoas são ladeadas por extensas faixas de areia amarelada e separadas por uma pequena faixa de terra. A visão é simplesmente deslumbrante.

ATACAMA22

Dica- Evite o famoso mal da altitude, que muitas pessoas se sentem mal, bebendo muita água, caminhando devagar e se agasalhando bem.

Há muitas plantações de frutas. Isso é possível devido a um sistema de distribuição de água através de valos construídos em pedras. Cada morador tem seu espaço destinado ao plantio. O local é muito verde, o que não deixa de ser um paradoxo, considerando-se os mais de 40 anos sem chuvas…

Que tal esse Pic Nic no deserto?

ATACAMA23

Os  geisers de El Tatio, é o local de maior concentração de turistas. O frio é de doer (-8º) por isso se agasalhe bem. A água que jorra dos geiseres é bem quente, por volta de 90º. É um espetáculo difícil de descrever. E você ainda pode se banhar depois nas águas termais. É uma delícia, mesmo com o forte cheiro e enxofre.

O Vale de La Muerte é o cartão postal do deserto, com mais ou menos 2 kms de extensão, é formado por rochas, dunas e monumentos naturais.Recebeu este nome por que, em tempos passados, os inimigos que não sucumbiam ao deserto, eram emboscados entre as paredes rochosas do vale. Apesar do nome sugestivo é, como tudo o mais no Atacama, uma verdadeira obra de arte criada pelas mãos da natureza. Os guias do hotel são ótimos e muito bem preparados.

ATACAMA7

As lagoas do Salar do Atacama são incríveis, e é possível mergulhar e não afundar… ficar boiando por horas… E o Hotel como sempre, prepara uma super infra de cadeiras, toalhas, etc…

ATACAMA19

ATACAMA20

Atacama é assim, mistura de paisagens, pessoas, culturas e raças, vale muito a pena conhecer, e se sentir um pouco desbravador!

Espero que tenham gostado, se quiser mais dicas e informações acesse meu site www.familytrip.com.br

envie seu comentário

RelacionamentoVida a dois